quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Florença e Pisa - Parte I

         E aí, pessoal, tudo bom?
         Pra quem está na Itália, a cidade de Florença (ou Firenze, em italiano) é quase parada obrigatória. Capital da província da Toscana, a cidade é o berço do Renascimento e de figuras importantes como Dante Alighieri e Filippo Brunelleschi. Sabendo que a poucos quilômetros de lá está a torre inclinada mais famosa do mundo, a visita àquelas regiões torna-se imperdível. E é por isso que eu vou contar a vocês sobre a minha experiência em Florença e Pisa. Hoje falarei somente sobre Florença e no próximo post discorrerei sobre Pisa.

Planejamento
         Planejar uma viagem a Florença e Pisa saindo de quase qualquer parte da Itália é bem fácil.  Basta apenas providenciar o transporte e a hospedagem.
         Comprei minhas passagens de trem  saindo de Turim com destino a Florença pela Trenitalia, a companhia ferroviária estatal da Itália. Com algumas semanas de antecedência, paguei cerca de 60 euros nas passagens, ida e volta, de Turim a Florença, estação Santa Maria Novella, em uma das linhas de trem de alta velocidade, o Frecciarossa. A viagem duraria 3 horas.
         Meu plano era ficar em Florença e dar apenas uma passadinha por Pisa, bate e volta mesmo. Para ir de uma cidade para a outra eu pegaria um trem regional, que nem precisa comprar bilhete com antecedência.
         Em seguida, utilizei o Hostel World para reservar uma cama em um quarto coletivo de um hostel no centro de Florença. Quando me refiro ao centro, estou me referindo a região próxima a catedral de Santa Maria Novella ou a Piazza della Signoria, regiões turísticas da cidade. Não me lembro quanto paguei por noite no hostel, mas lembro que era barato. Infelizmente eu não posso pesquisar quanto custaria essa reserva pois o hostel que eu fiquei já não existe mais.
         Basicamente é isso! Planejamento encerrado!

A Viagem
         Para embarcar no Frecciarossa basta chegar com 15 minutos de antecedência para verificar no painel da estação qual a plataforma do seu trem e embarcar no trem correto. É conveniente imprimir sua passagem e levá-la consigo. Outras opções seriam levar o bilhete em formato digital ou levar seu celular contendo o SMS da companhia de trens com as informações da compra, caso você tenha solicitado o envio. Não é necessário fazer check in nem nada burocrático. A viagem de trem foi bastante tranquila. O Frecciarossa é confortável e possui até mesmo Wifi.
         Desembarquei na estação Santa Maria Novella de Florença, a estação de trem mais próxima do centro turístico. Levei um mapa impresso contendo o caminho da estação de trem até meu hostel, de forma que a caminhada foi tranquila. Ainda assim, ao encontrar um ponto de informações turísticas no caminho, peguei outro mapa. Vale lembrar que Florença é uma cidade cujo centro turístico é relativamente pequeno, ou seja, com um pouco de disposição, é possível conhecer tudo apenas caminhando.
         Com relação ao hostel, não me admira que ele não exista mais. O hostel era em um apartamento grande. Era apertado, com poucos banheiros, sem lockers e a internet wifi, inclusa no preço, não funcionava direito. Mas pelo menos era barato e bem localizado e serviria para poucos dias.
         Do ponto de vista turístico, cultural, artístico, Florença é uma cidade magnífica! A poucas quadras do meu hostel encontrei a famosa Catedral de Santa Maria del Fiore. Simplesmente linda!


Duomo di Firenze: A Catedral de Santa Maria del Fiore

         Bem na frente da catedral, e ofuscado por ela, existe o batistério de San Giovanni, igualmente bonito e importante. Bem ao lado da catedral está o seu campanário, o  Campanário de Giotto. Após tirar diversas fotos da praça e dos seus três personagens principais e conhecer a catedral por dentro (note bem a gigante cúpula e sua majestosa pintura interna), decidi seguir a recomendação de um amigo e subir na famosa cúpula, conhecida como Cúpula de Brunelleschi.
         A subida à Cúpula de Brunelleschi custa 8 euros e é um percurso de 463 degraus. Parte da subida ocorre em escadas apertadas, em várias direções e às vezes com fluxo de pessoas no sentido contrário. Os mais claustrofóbicos talvez não se sintam a vontade.  
         Subir no topo da cúpula vale a pena em todos os sentidos. De lá é possível ter uma vista panorâmica linda da cidade de Florença e arredores. É imperdível!

Vista do topo da Cúpula de Brunelleschi

            Seguindo pela Via dei Calzaiuoli, atravessei parte da região turística de Florença, passando próximo a Piazza della Repubblica e chegando a Piazza della Signoria. Trata-se de uma praça bastante singular, na qual existe um palácio que leva o mesmo nome, que possui uma torre com formato bem característico. Na Piazza della Signoria pode-se observar diversas esculturas, entre elas uma réplica do famoso Davi de Michelangelo. A escultura original está na Galleria dell'Accademia, um dos vários museus de Florença, e pode ser admirada, porém não pode ser fotografada.


Piazza della Signoria e seu Palácio.

         Olhando de frente para o Palazzio dela Signoria, do lado direito você verá uma passagem cheia de esculturas. Trata-se da Piazzale degli Uffizi, na qual se encontra a entrada para a famosa Galleria degli Uffizi, considerada o segundo museu mais importante da Europa. A passagem vai te levar direto às margens do rio Arno.
         A ponte que você verá a sua direita é um dos famosos pontos turísticos de Florença: o Ponte Vecchio, uma linda ponte para pedestres com lojas de ambos os lados que cruza o rio Arno.
         Cruzando il Ponte Vecchio e seguindo para a esquerda, não vai ser difícil encontrar um caminho um pouco longo que segue para a Piazzale Michelangelo. Trata-se de uma praça elevada da qual é possível ter uma visão magnífica de Firenze, com destaque para os pontos turísticos que visitamos: Duomo, Campanário de Giotto, Torre da Piazza della Signoria, Ponte Vecchio e Rio Arno.


Vista da Piazzale Michelangelo, com destaque para a Cúpula de Brunelleschi, o Campanário de Giotto e a Torre do Palazzio della Signoria.

         Bom pessoal, é claro que existem outros diversos pontos turísticos e museus em Florença. Tudo depende do seu gosto e do que você pretende visitar. Mas esses pontos turísticos que eu apresentei são os que eu considero indispensáveis para qualquer pessoa que vá a Firenze.
         E falando em coisas indispensáveis, vale bastante a pena provar a Bisteca a Fiorentina, um prato típico de Florença. Trata-se de um belo T-bone Steak, geralmente acompanhado por batatas ou salada. Existem vários restaurantes que oferecem esse prato na região turística da cidade. Eu provei essa deliciosa refeição em um restaurante localizado exatamente atrás do Duomo. Chama-se Le Botteghe di Donatello. A iguaria custou cerca de 22 euros, acompanhada por um cálice de vinho tinto e valeu cada euro.


A Bisteca alla Fiorentina acompanhada de batatas fritas e um cálice de vinho tinto.

Dicas
  • Em Florença você vai encontrar diversas lojas e barraquinhas de rua que vendem artigos de couro como bolsas, jaquetas, carteiras e cintos.
  • Se você gosta dos livros do Dan Brown, leia "Inferno" antes de ir a Florença. Como parte da história de passa em Firenze e você vai ficar ainda mais curioso para conhecer cada detalhe dessa cidade.

         E por hoje é isso, pessoal. No próximo post vou falar sobre minha experiência em Pisa, saindo de Florença, o que completa esta viagem. Se você gostou, compartilhe com seus amigos. Não se esqueça de curtir nossa página no Facebook. Abraços!

1 comentários: